terça-feira, 9 de abril de 2013

Diário Secreto de uma Mulher, Sophie Morgan [Opinião]


Sinopse: 
Sophie Morgan é uma jovem jornalista de sucesso.
Divertida, inteligente, atraente e generosa, ela podia ser uma das suas amigas. A sua vida é absolutamente banal… com excepção de um "pormenor": na cama, ela gosta de se entregar a um homem dominador. Sophie é uma submissa. E é também suficientemente ousada para revelar a sua arrojada vida íntima: das primeiras experiências eróticas à recém-descoberta sexualidade, na qual James, um "Christian Grey" da vida real, teve um papel fundamental. É só quando o conhece que ultrapassa verdadeiramente os seus limites. 


À medida que a paixão entre ambos se intensifica, a questão que coloca a si própria é: até onde será capaz de ir? 
Poderá o homem perfeito ser também perfeitamente cruel? 

Na senda de 50 Sombras de Grey, este ousado relato pessoal desvenda os segredos e desconstrói os mitos do que realmente significa ser submissa. 
Arrojado, controverso e sensual, este Diário está recheado de uma honestidade tão surpreendente que ninguém - homem ou mulher - será capaz de o pousar. E quando terminar, o leitor vai perceber por que razão "Sophie" é um pseudónimo.
Opinião:

Aqui para nós, que ninguém nos ouve: já vomito eróticos pelos olhos. E vocês pensam: a culpa é tua. Se não o tivesses comprado, agora não estavas a reclamar. Pois, têm razão, é verdade. Mas em minha defesa alego que, quando o comprei, não sabia que ia ser tão… tão… tão… coise. Passo a explicar!

Este ‘testemunho’ é tão seco, tão seco, que até me provoca tosse. Eu assumo, gosto de romances eróticos. ROMANCES ERÓTICOS! Uma história de amor bonita e controversa, com piripiri e malaguetas à mistura. Adorooooo. O que não gosto nem um pouco são de romances que de romances não têm nada e que apenas se limitam a contar pormenores da vida de uns quantos personagens, pornograficamente falando.

Este ‘Diário’ baseia-se nisso mesmo e por isso nem sequer o consegui terminar. 
Desisti da leitura ao fim de meia dúzia de capítulos e tão cedo não volto a pegar em romances eróticos (a menos que seja o terceiro livro da trilogia Crossfire da Sylvia Day *sobrancelhas levantadas* ou outro cuja opinião geral relate que se trate efectivamente de um romance).

Não recomendo, demasiado fútil, superficial e banal.

Boas leituras,
(30 Março 2013)





Sem comentários:

Publicar um comentário