domingo, 30 de junho de 2013

As leituras de Junho 2013 [Balanço]



O que é que esta lambidela linda e fofinha tem a ver com o balanço das minhas leituras do mês de Junho?!
 Perguntam vocês e eu respondo: NADA! Apeteceu-me, só isso :)

O mês de Junho veio carregadinho de calor e carregadinho de leituras para todos os gostos e feitios. 



Mais diversificado só mesmo se fosse acometida pela febre das leituras e tivesse devorado todos os livros que tenho por ler na estante.

Assim sendo foram 6 livros lidos e opinados. Uns gostei imenso e outros nem por isso mas até que nem foi um mau mês. 

De qualquer das formas e atendendo ao número de novidades literárias que vão invadir o mês seguinte devo dizer-vos que estou em pulgas para deitar a mão a umas quantas novidades...  




Até lá deixo-vos entregues a este calor do fim do mundo do qual eu não estaria  a reclamar se pudesse usufruir de praia/piscina  a tempo inteiro ou parcial. 
Bebam muita água, hidratem-se e leiam muito.


Perseguição Escaldante (Stephanie Plum #17) Janet Evanovich [Opinião]


Sinopse: 

Em New Jersey, os cadáveres surgem em catadupa. Ninguém sabe quem é o assassino em série nem o motivo por que anda a matar, mas o nome de Stephanie Plum, a caçadora de recompensas, está na lista do homicida. Stephanie corre contra o tempo para descobrir o que se passa, mas tem ainda de enfrentar outras complicações na sua vida. A sua família e amigos insistem que chegou o momento de escolher entre o seu eterno namorado, o detetive Joe Morelli, e o rebelde mas sedutor Ranger, dono de uma empresa de segurança. E a sua mãe está apostada em juntá-la com Dave, uma ex-estrela do futebol americano. Com um assassino implacável no seu encalço, um punhado de homens sedutores e fogosos atrás de si, e assombrada por uma lista de faltosos a tribunal que incluem um urso bailarino e um vampiro de idade já avançada, a vida de Stephanie parece prestes a entrar em brasa. Perseguição Escaldante é um policial divertido e autêntico, que vai arrancar muitas e muitas gargalhadas.

Opinião:

É o primeiro livro que leio da autor e o primeiro exemplar na minha estante da editora Topseller e confesso que já há muito tempo que andava atrás deste menino e por isso as expectativas estavam muito lá em cima. Pois, azar o meu.

Não que a leitura não tenha sido agradável, porque foi. Li o livro num ápice. Mas não sei, estava à espera de outra coisa, de outro tipo de história e por isso mesmo não consegui dar mais do que 3*.

No geral é um livro bem disposto mas que ao contrário das demais opiniões não me arrancou nenhuma gargalhada. Um sorriso aqui e outro ali mas pouco mais. É uma narrativa assim pró doida e acontece um pouco de tudo durante a acção mas nada que me levasse a perder o sono ou a ficar viciada no tipo de escrita.

Vamos ver se com os próximos a minha cotação sobe um pouquinho.
(Podem ser efeitos do calor que não me deixa dar mais do que 3* no Goodreads aos livros que tenho em mãos)

Boas leituras,
30 Junho 2013




O Circulo do Medo (Saga das Pedras Mágicas #4) Sandra Carvalho [Opinião]


Sinopse: 

Eis a continuação da série A Saga das Pedras Mágicas, da autoria de Sandra Carvalho, uma das primeiras vozes femininas a dedicar-se ao género fantástico em Portugal. Sesimbrense, a autora é uma apaixonada pela escrita fazendo-se acompanhar desde os tempos em que era mais jovem de um pequeno caderno onde sempre regista o seu olhar sobre outros mundos para além da realidade. «Eu posso dizer que passo 24 horas a sonhar. As ideias estão sempre a latejar na minha cabeça», afirma Sandra. E das ideias à obra foi um pequeno passo, agora acessível a uma comunidade vasta de leitores que acompanha o seu trabalho a par e passo. Já no quarto volume, assistimos à conspiração dos senhores da Arte Obscura que não desistem de se assenhorear das Pedras Mágicas da feiticeira Aranwen. Julgando Edwin morto, Edwina, a Rainha do Sol, desposa Igarr, e todos esperam dela um herdeiro que perpetue a linhagem dos reis vikingues. Mas será que mistérios ainda ocultos virão alterar o rumo dos acontecimentos? Poderão, como profetizado, as essências do Sol e da Lua fundirem-se numa só, para darem origem a um Conhecimento superior, como o de um deus?

Opinião:

Este é o 4º livro da Saga das Pedras Mágicas da autora Sandra Carvalho, sob a chancela da editora Editorial Presença. Foi um livro que me foi emprestado pela minha diabinha Ivonne e foi a minha Leitura Tuga de Junho.

O que tenho a dizer-vos sobre este livro? Bom, para já foi a capa de que menos gostei. É muito escura e pouca apelativa.

Quanto à história em si, posso dizer-vos que o modus operandi da autora continua. Demasiada narrativa seguida e poucos diálogos. Demasiadas descrições e referências a coisas que eu como leitora não achei relevante.

Mas o pior de tudo é o facto de mais uma vez a história não 'terminar' por aqui. Já há 2 livros que venho a seguir a história de Edwina e Edwin e ainda não foi desta que tive um ponto final na trama destas duas personagens e confesso que isso me irritou um pouco. Em 300 e tal páginas posso dizer-vos que apenas numas 20 encontrei a magia que me contagia numa leitura.

Positivamente saliento os diálogos (ainda que em pouca quantidade). São absolutamente credíveis e muito interessantes. Foram os diálogos que não me permitiram desistir da história. A minha personagem preferida continuou a ser a Thora (mesmo sendo uma personagem secundária). 

Já tenho o seguinte volume na estante (também ele emprestado pela Ivonne) e espero ler em breve uma vez que apesar de achar a leitura um pouco penosa estou curiosa para saber o final da história do Edwin e da Edwina. Vamos lá ver se neste 5º volume tenho algumas surpresas.

Podem ver aqui a minha cotação no Goodreads.

Boas leituras,
28 Junho 2013




Obs: Leitura Tuga Abril (Desafio lançado pela escritora/autora e blogger Andreia Ferreira no seu blog http://d311nh4.blogspot.pt)

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Casa Amarela - Café Concerto (Apresentação do livro Ligação)


Ontem tive a oportunidade de apresentar e divulgar o meu livro num espaço muito agradável em Guimarães.






O Casa Amarela - Café Concerto é um espaço jovem e muito acolhedor que cede o seu espaço de cada vez que artistas nas mais variadas artes necessitam de divulgar o seu trabalho. 













Além da maravilhosa sala dedicada a eventos o Casa Amarela tem ainda uma deliciosa esplanada para as noites mais quentes de verão, uma acolhedora esplanada interior para as noites mais frias de inverno e tem ainda uma belíssima zona de restauração.












Como podem ver, agrada a gregos e a troianos!
Por isso não deixem de visitar esta casa quando forem a Guimarães, ok malta?








Quanto ao meu momento de fama deixo-vos algumas fotos tiradas pelo B. Fernandes  
(todos os direitos reservados a B. Fernandes)

  











Agradeço ainda à Rute Olávia e ao André Rebelo que dividiram comigo a mesa da presidência e contribuíram com as suas opiniões não só à promoção e divulgação do Ligação mas também à partilha do gosto pessoal de cada um sobre livros e leituras.

Obrigada também a todos os que conseguiram estar presentes.

Um abraço e um beijinho, 




quarta-feira, 26 de junho de 2013

Ligação - 2 meses, 24 ratings e 11 reviews depois...


Saber que vocês leitores tiram tanto gozo da minha historia quando a estão a ler quanto eu quando a escrevi é a melhor das realizações



Obviamente existem aspectos que vos convenceram mais outros que nem por isso. Mas a vida é assim mesmo. Nós somos todos diferentes e os livros também.
No entanto para minha grande felicidade o Ligação tem sido muito bem aceite e as cotações a fazerem as minhas delicias enquanto escritora/autora e eterna aprendiz.
E como tal não me canso de agradecer a vocês leitores por todas as indicações, sugestões, apoio, divulgação, carinho e força. 

OBRIGADA




E vocês, o que me dizem destes resultados, ah?




segunda-feira, 24 de junho de 2013

Ligação - Opinião by Por detrás das palavras


Silvana Martins
Administradora do blog Por detrás das palavras

*
A Silvana foi uma das bloggers que aceitou o Desafio E.E.E.B. 
(Podem saber mais AQUI)

É sempre muito bom descobrir autores Portugueses, principalmente quando são jovens autores cheios de ideias e com a criatividade a fervilhar em cada célula do seu ser. Soraia Pereira é uma dessas jovens escritoras cheia de vontade de colocar no papel todas as ideias que habitam na sua imaginação. Ligação é o seu primeiro livro e oferece-nos a história dos Anjos Negros, que são um grupo de vampiros simpáticos que protegem a humanidade.


Assim, numa escrita muito acessível (por vezes demasiado simplista e coloquial) permite-nos perceber muito bem todo o enredo que está por detrás dos guerreiros Anjos Negros e o grupo que por eles é perseguido, os Sombras. É de realçar positivamente as descrições apresentadas acerca destes dois mundos, uma vez que permite ao leitor aceder facilmente à tipologia de seres sobrenaturais que a Soraia nos traz.

Relativamente às personagens, por incrível que pareça, não foram as principais que despoletaram em mim maior curiosidade. Leonardo e Jessica, o casal central do livro, apaixonam-se demasiado depressa. Não houve tempo para criar um ligação mais sólida e conhecer-mos mais sobre cada um deles. Jessica tem um história interessante que poderia ter sido mais esmiuçada. Leonardo, por vezes tem atitudes um pouco infantis, mas isso também acontece um pouco com a Jessica. 





As personagens que me deixaram mais curiosa para os próximos livros são A'larick e Caliel. São ambas personagens que deixam transparecer algum mistério que nos deixa com a curiosidade em pulgas. Será que nos próximos livros teremos mais informações sobre o espírito inquieto de A'larick e sobre a serenidade de Caliel (não sei porquê, mas sempre que ela aparecia no livro sentia uma certa onda de paz e serenidade). 

Um outro aspecto que achei positivo foi o tom humorístico de alguns diálogos. 
Apenas faltou uma enredo mais sedutor, em que os acontecimentos fossem mas esmiuçados e os temas que eles envolvem tratados de forma um pouco mais profunda.

Foi um bom começo para Soraia e para a sua escrita. Atenção que deixa-nos um final completamente em suspenso!! Quando lá chegamos só pensamos: O quê vamos ficar aqui sem saber o que se passa? Pois, mas ficam... Têm de aguardar pelo próximo capítulo!!!


Também podem ver a opinião da Silvana reproduzida aqui e aqui.

domingo, 23 de junho de 2013

Queimada Viva, Souad [Opinião]

Sinopse:

Quando o amor antes do casamento é sinónimo de morte.
Souad tinha dezassete anos e estava apaixonada. Na sua aldeia da Cisjordânia, como em tantas outras, o amor antes do casamento era sinónimo de morte. Tendo ficado grávida, um cunhado é encarregado de executar a sentença: regá- -la com gasolina e chegar-lhe fogo. Terrivelmente queimada, Souad sobrevive por milagre. No hospital, para onde a levam e onde se recusam a tratá-la, a própria mãe tenta assassiná-la.
Hoje, muitos anos depois, Souad decide falar em nome das mulheres que, por motivos idênticos aos seus, ainda arriscam a vida. Para o fazer, para contar ao mundo a barbaridade desta prática, ela corre diariamente sérios perigos, uma vez que o “atentado” à honra da sua família é um “crime” que ainda não prescreveu. 
Um testemunho comovente e aterrador, mas também um apelo contra o silêncio que cobre o sofrimento e a morte de milhares de mulheres.

Opinião:

'Queimada viva' é um livro cujo relato nos conta a história de Souad, uma jovem Cisjordânia que por dar ouvidos ao seu coração ingénuo e se apaixonar por um homem sem carácter acaba por cometer um dos crimes mais graves que os costumes do seu povo e da sua aldeia condenam: crime de honra. E quando isto acontece, apenas uma medida pode livrar a família de tal desgosto: a morte.

Já tinha visto este livro algumas vezes e lido variadas opiniões acerca dele. Umas pessoas defendem que é um testemunho real, um relato verídico de alguém que sofreu atrozmente os costumes de uma aldeia retrograda, com pensamentos machistas e obsoletos onde as mulheres, independentemente da idade, condição social, estatuto ou beleza são tratadas abaixo de esterco. Sim, porque pelos relatos os animais, cães, cabras, vacas, etc, são mais bem tratadas do que elas. 

Outras pessoas defendem que os mesmos relatos são incongruentes e impossíveis. Pontos de vista clínicos que contestam a veracidade, por exemplo, da percentagem de superfície dérmica queimada e infecção por não tratamento e ainda assim sobrevivência da vitima. Para mim, independentemente de ser verídico na sua totalidade ou não, não posso deixar de ficar surpreendida e ao mesmo tempo aliviada por ter nascido na liberdade ocidental. 

Este relato pode não ser totalmente real, pode muito bem ser a junção de várias situações e uma história criada a partir dessa junção, mas que estes crimes existem, existem. E isso é incontestável e por serem reais repugna-me e deixa-me com vontade de mandar uma bomba lá para o meio daquelas aldeias, onde os homens porque são homens têm todos os poderes, incluindo o poder de matar sem que nada lhes aconteça. 

Os costumes estão de tal modo deturpados e enraizados naquela gente, que para eles matar um bebé recém nascido só porque é uma menina é a coisa mais normal do mundo. Espancar mulher e filhas também  é normal. Condenar uma filha à morte porque ela foi ingénua e apaixonada e se deixou levar pela lábia de um homem mais velho, que mesmo sabendo que o que estava a fazer era errado e a podia desgraçar e não se importou uma vez que seria ela que no fim de contas morreria, também é normal. Uma data de monstruosidades que serve para reflectirmos em que mundo vivemos e que culturas nos rodeiam. Até porque muitas das vezes este tipo de violência e atrocidade também acontece nos países ocidentais. Na sua região ou cidade. Quem sabe na nossa rua ou muitas das vezes, na casa do nosso vizinho.  

Não posso atribuir muitas estrelas a este livro, porque se o que li foi impressionante e me fez ficar interessada na história a verdade é que a carga emocional negativa é tão forte e desgastante que ainda não sei como é que não tive pesadelos com todos aqueles maus tratos cometidas contra mulheres. Podem ver no Goodreads as 3* que lhe atribuí.

Boas leituras, 
21 de Junho 2013



sábado, 22 de junho de 2013

Ligação - Opinião by Olinda Gil


Achei o livro fácil de ler e acessível mas achei a sua linguagem demasiado simples, e sobretudo, não gostei do abuso de expressões vulgares. Não gostei que os "anjos negros" falassem assim: "-Meu, como estás?", Não vou falar de gralhas, porque isso é um velho assunto muito discutido aqui na net e completamente alheio à autora.

As personagens estão interessantes, mas talvez tenha sido abusado o nº de companheiros. Para um livro tão pequeno, aqueles 6 companheiros criam confusão. Mas gostei das personalidades deles, que apesar da boa índole tinham das suas. Contudo, às vezes eram infantis (especialmente o Leo e o Rick), demasiado para quem tem um milénio de existência. Jessica (pena este nome, não gosto nada) é uma mulher e pêras, habituada a ter tudo na vida à custa do seu pulso, e foi pena que não pudéssemos ver mais este seu lado.




A narrativa decorre demasiado rápido. Podia ter sido a mesma história, os mesmos acontecimentos, mas num tempo narrativo mais longo fariam mais sentido. As passagens eróticas (porno, porque têm um elevado grau de descrição) teriam tido mais consistência se eles não tivessem acabado de se conhecer. Está certo que havia uma certa magia entre eles, algo superior a eles, mas era desnecessário terem relações meia dúzia de horas depois de se conhecerem.

Há uma obsessão pela descrição das roupas das personagens. Não é preciso! Se gostavam tanto de usar cabedal, dizia-se uma vez e estava entendido.

A Olinda atribuíu ao Ligação 3* no Goodreads, podem ver a respectiva cotação assim como a opinião aqui

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ligação - Opinião by Rute Olávia



"...Parabéns Soraia eu estou rendida as tuas histórias..."





Não tenho palavras para descrever a surpresa que tive ao ler o livro. Eu tinha uma grande expectativa, mas só quando li, é que percebi que era muito, mas muito melhor do que eu podia ter imaginado.  

Vidrei, arfei e ri; ri muito! Consegui ser transportada para aquele universo e dele não quero sair, é uma historia viciante e deu pica a ler :) Não existe nada melhor do que ler um bom livro, um que nos dá prazer! 

Parabéns Soraia eu estou rendida as tuas historias... Agora espero rapidamente que saia o II volume...

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A maldição do Tigre, (A saga do Tigre #1) Colleen Houck [Opinião]


Sinopse:

Quando Kelsey Hayes se candidata a um trabalho no circo para ocupar as férias de verão até ao início das aulas na faculdade, está longe de imaginar a aventura em que se verá envolvida. Encarregada de cuidar de Ren, um majestoso tigre branco, sente-se de imediato fascinada pelo animal e não hesita em aceitar o convite para o acompanhar numa viagem até à Índia, rumo à reserva natural a que pertence.
O que Kelsey ainda não sabe é que o tigre a que tanto se afeiçoou é na verdade Alagan Dhiren Rajaram - um príncipe indiano vítima de uma maldição secular - e que ela poderá ser a única pessoa capaz de o ajudar a quebrar o feitiço.
Determinada a devolver a Ren a sua humanidade, Kelsey embarcará numa perigosa aventura por lugares repletos de magia e misticismo. No entanto, as forças do Mal não parecem dispostas a dar-lhes tréguas e os perigos espreitam a cada esquina. Será que a paixão que vai crescendo entre os dois resistirá a todos os obstáculos que lhes vão sendo colocados no caminho?

Opinião:

Digam lá se este pequeno não tem uma capa lindíssima? Tem, não tem? Eu cá acho que tem. É das capas mais fofinhas que já vi em livros e porquê? Porque o tigre é um gatinho em ponto XXXL :) 

E agora vamos lá falar da história. Tenho-vos a dizer que este livro me despertou sentimentos contraditórios. Ora amei o capitulo ora odiava o seguinte. E às vezes os dois sentimentos no mesmo capitulo. Pior! Na mesma página. Foi uma leitura tipo montanha russa. 

A sinopse é interessante e o inicio da história entra com um bom ritmo apesar de eu não ser muito fã das narrativas em primeira pessoa. No entanto as excessivas descrições, muitas das vezes desnecessárias, levavam a abrandar o ritmo da leitura. (Dei por mim a revirar os olhos e a perguntar à minha pessoa para que diabo queria eu saber a quantidade de vezes que a miúda comia barras de cereais?!)

A história de Ren e de Kelsey começa no Oregon-EUA mas migra para a Índia e é lá que a acção da história decorre. Um aspecto que gostei muito foi a apresentação das várias lendas e mitos do povo Indiano e do povo Asiático. Sempre que uma me era apresentada ficava super curiosa e ansiosa por saber mais acerca do assunto. Durante a leitura/aventura dei por mim a pensar nos filmes do Indiana Jones.

A relação de amizade e posterior paixão das personagens também de deixou furiosa ali para perto do fim da história. Não me caiu bem o distanciamento forçado da Kelsey. Compreendo os seus motivos e o seu medo mas achei que a autora podia ter feito as acções deslizarem de uma forma melhor e sem parecer forçado. No entanto, quando as personagens estão em sintonia, as descrições de paixão e envolvimento fizeram-me acelerar o batimento cardíaco.

Não consegui visualizar muito bem a personagem da Kelsey. Na grande maioria das situações era como se uma neblina se intromete-se entre a minha imaginação e a personagem impedindo-me de a ver na perfeição. No entanto com Mr. Kadam e com Ren e Kishan a coisa já aconteceu de forma totalmente diferente. Então com o ronronar do tigre nem era preciso imaginar, bastava-me esticar a mão e fazer duas festinhas nas orelhas do meu Butch (gato) que ele começava logo a ronronar e a esfregar o focinho na minha mão tal e qual o tigre da história. Penso que se a autora reestruturasse as descrições de forma a não serem tantas e tão especificas a história teria despertado e evoluído de uma forma totalmente diferente.  

Quanto ao final, Colleen Houck sabe como deixar o leitor agarrado à história porque deixa tudo em aberto com várias possibilidades para acontecer no próximo livro que já se encontra disponível no mercado livreiro português e tem como titulo 'O resgate do Tigre'.

Agradeço à Ivonne o empréstimo, tem sido ela a alimentar a leitura nos últimos tempos com livrinhos que eu não tenho na minha biblioteca pessoal. De momento não me é possível comprar este livro mas assim que possa  vou comprar um exemplar.

A minha cotação no Goodreads é de 3.5*. Espero no próximo conseguir chegar às 4*ou quem sabe às 5*.

Boas leituras,
16 de Junho 2013





terça-feira, 18 de junho de 2013

Jessica (Anjos Negros #1)



Identificação de Personagem



Nome: Jessica O'Reilly

Alcunha: Jess

Categoria: Humana/ Niosa

Cor do cabelo: Castanho âmbar

Cor dos olhos: Castanhos âmbar

Poderes: Psíquicos (absorve energia vital)

Características / Descrição: Jessica O'Reilly tem 23 anos, é uma mulher bonita, simples, inteligente e muito perspicaz.  É humana e por estar no sitio errado à hora errada viu-se mergulhada num mundo que lhe é totalmente desconhecido e o seu destino muda completamente.






segunda-feira, 17 de junho de 2013

Revisões #1



Olá malta!

Uma passagem rapidinha aqui pelo blog para vos contar o que andei a fazer durante a tarde de hoje!



Pois bem, ao contrário do nosso amigo Woody, não andei a sair de dentro de uma caixa de cartão, mas quase :) Passei a tarde em revisões, a tratar da primeira revisão do livro que dá continuação ao 'Ligação', 

A história de Anjos Negros #2 foi começada a 16 de Novembro de 2010 e terminada a 27 de Janeiro de 2011. Já tem título e de momento conto já com 92 páginas, 4 capítulos e 14.958 palavras revistas. 

Obviamente que o caminho até ao último ponto final é demorado, árduo e doloroso... bom, não tão doloroso quanto isso, esta parte era eu aqui a dramatizar um pouquinho. Mas tudo o resto é verdade. 



É difícil manter a concentração e a objectividade quando estamos a caçar gralhas naquilo que escrevemos, por isso é que esta é a primeira revisão. Depois vem outra e mais outra e se calhar ainda outra, desta vez por olhos de outras pessoas para que a probabilidade de erros e gralhas fique diminuída para níveis aceitáveis


Isto tudo porque vocês leitores merecem sempre o melhor!



E é tudo por hoje, agora vou saltar para a minha cama e ler um pouquinho antes de ir dormir. Façam o mesmo. Bons sonhos e boas leituras.





Leonardo (Anjos Negros #1)





    

Identificação de Personagem



Nome: Leonardo

Alcunha: Leo

Categoria: Anjo Negro

Cor do cabelo: Castanho Escuro

Cor dos olhos: Pretos

Poderes: Psíquicos

Características / Descrição: Leonardo é um vampiro que pertence à força de elite da raça, denominada Anjo Negro. Este grupo restrito de vampiros tem como principal missão proteger todas as raças que habitam o planeta, prioritariamente os humanos. Foi transformado aos 25 anos de idade e é de descendência italiana. Na omoplata direita tem gravado  o símbolo dos Anjos Negros. A sua bebida de eleição é cerveja preta e tem alguns brinquedos pessoais: 







Honda CBR 1000 RR Fireblade 


















Aston Martin Rapid 


domingo, 16 de junho de 2013

Curiosidades - Nome das personagens


Preparados para saberem mais uma curiosidade? Desta vez decidi partilhar com vocês, como e onde, surgiram os nomes dos meus guerreiros Anjos Negros.

Quem, de vocês que estão a ler este post se recorda (se for o caso) da primeira vez que andou de avião? 




Eu lembro-me como se fosse hoje! Foi no dia 15 de Outubro de 2010 que parti do aeroporto Francisco Sá Carneiro (Porto), rumo a Girona (Barcelona), num fim de semana inesquecível.

Passei por Girona, Lloret de Mar e por fim a tão cosmopolita cidade de Barcelona. Riquíssima nos seus monumentos, cultura e diversidade.

Visitei a Catedral da Sagrada Família, deliciei-me com os artistas de Las Ramblas, (onde até fiz uma caricatura da minha pessoa como recordação. Prometo mostrar-vos, um dia destes). E por fim, quando estava a recuperar das dezenas de quilómetros que os meus ténis acumularam por esses dias, depois de um primeiro sono causado pela exaustão, dou por mim a acordar desvairada (e assustar o meu namorado, que tem uma paciência de santo) e a escrever apressadamente no telemóvel os nomes dos meus guerreiros que surgiram do nada a meio da noite, de forma a que mais tarde pudesse transcrevê-los para uma folha.


Leonardo, Luthian, A'larick, Zelasthiam, D'Drake e Winnd. 

Dizem os entendidos que o que aconteceu na altura, foi uma epifania inconsciente! Eu prefiro chamar-lhe influencia cultural!





A rapariga que roubava livros, Markus Zusak [Opinião]


Sinopse: 

Quando a morte nos conta uma história temos todo o interesse em escutá-la. Assumindo o papel de narrador em A Rapariga Que Roubava Livros, vamos ao seu encontro na Alemanha, por ocasião da segunda guerra mundial, onde ela tem uma função muito activa na recolha de almas vítimas do conflito. E é por esta altura que se cruza pela segunda vez com Liesel, uma menina de nove anos de idade, entregue para adopção, que já tinha passado pelos olhos da morte no funeral do seu pequeno irmão. Foi aí que Liesel roubou o seu primeiro livro, o primeiro de muitos pelos quais se apaixonará e que a ajudarão a superar as dificuldades da vida, dando um sentido à sua existência. Quando o roubou, ainda não sabia ler, será com a ajuda do seu pai, um perfeito intérprete de acordeão que passará a saber percorrer o caminho das letras, exorcizando fantasmas do passado. Ao longo dos anos, Liesel continuará a dedicar-se à prática de roubar livros e a encontrar-se com a morte, que irá sempre utilizar um registo pouco sentimental embora humano e poético, atraindo a atenção de quem a lê para cada frase, cada sentido, cada palavra. Um livro soberbo que prima pela originalidade e que nos devolve um outro olhar sobre os dias da guerra no coração da Alemanha e acima de tudo pelo amor à literatura.

Opinião:

Todos os livros são especiais para mim. Até mesmo aqueles que me desiludiram com a sua leitura e que acabaram por viajar até à estante de outra pessoa tiveram o seu momento de glória na minha vida. Com este livrinho, esse sentimento de magia que faz de um monte de folhas de papel presas a uma capa seja tão especial, foi elevado a um expoente máximo de preciosidade. Primeiro, porque este livro não foi uma compra, mas sim uma oferta. Segundo, porque esta oferta foi-me entregue em mãos por uma pessoa que mudou a minha vida e tornou-a melhor com a sua presença (na grande maioria das vezes não é física mas é como se fosse) numa semana que também marcou a minha vida até ao fim dos meus tempos  (a menos que venha a sofrer de amnésia ou alguma doença que degenere a minha memória). E terceiro porque a história deste livro é das mais maravilhosas narrativas que já li desde que comecei a ler assiduamente. 

A capa é de uma beleza simples, mágica e muito apelativa, que não transmite ao leitor os segredos que traz no seu interior. Por dentro temos papel reciclado, não só estamos a cuidar da nossa cultura e alimentar o nosso intelecto como estamos também a preservar o meio ambiente. E quanto à apresentação da narrativa, gente, ainda que tenha deixado passar algumas horas para exteriorizar os meus sentimentos acerca desta história ainda me é difícil transpor para palavras os sentimentos que esta história despoletou em mim.

Quem conta a história de Liesel é a própria Morte em pessoa. O seu sentido de humor vai ao encontro da minha própria definição da Morte. Uma personagem com carácter e um sentido de humor muito próprio. É sarcástica em algumas circunstâncias e, na medida em que conta a história, acaba por cometer ela própria spoilers relativamente à história e adivinhem? Eu até gostei dos spoilers porque os mesmos são propositados. 

A acção vai sendo apresentada como pequenas sequências onde nos é apresentada simultaneamente a história de uma menina que roubava livros e também dos caprichos e desumanidades cometidas durante a segunda guerra mundial às mãos de Adolf Hitler e as suas grandiosas ideias que levaram quase ao extermínio do povo Judeu.

'A rapariga que roubava livros' mostra-nos de que forma o amor e a amizade, a coragem e o medo, a inteligência e imprudência, entre outros, pode mudar o destino das pessoas para sempre.  

Este foi daqueles livros que me fizeram rir e chorar durante a leitura. Principalmente na última parte do livro que me fez chorar baba e ranho numa cena que me tocou profundamente e deixou toda a gente cá de casa a olhar para mim e a perguntarem-se se eu tinha enlouquecido de vez ou teria recebido uma má noticia por sms que me tivesse deixado a chorar como um bebé.

  (Já vos disse que sou muito emotiva, coração de manteiga e uma chorona profissional? :D ) 

Este livrinho é daqueles que sem dúvida devem ler! Eu adorei e amei esta história. Dei-lhe 5* no Goodreads mas queria ter dado 10* ou mais. Um livro excelente.


O meu exemplar
Obrigada Diaba pelo presente *.*


Boas leituras,
15 de Junho 2013







quarta-feira, 12 de junho de 2013

Curiosidades - Simbolo




Já repararam no símbolo que aparece no livro? 




Estão curiosos por saber porque aparece no início de cada capítulo? 
Ah, pensavam que estava ali por estar? Não, não é por acaso que ele aparece. 

(Se pedirem muito, eu conto…. Ok, eu conto na mesma.) 

Estes três elementos estão directamente relacionados com a temática da história e com os seus personagens. Alguns serão apresentados neste primeiro volume e outros aparecerão com o evoluir da história, nos restantes livros da saga. 



O sol: Representa o Reino Humano, o dia, a luz e o bem. 

A lua: Representa o Reino das Sombras, as criaturas da noite, a escuridão e o mal. 

A estrela: Representa o Reino Celestial, o destino, os sonhos e a esperança. 



E não, também não é por mero acaso, que estão entrelaçados uns nos outros: 

Não há bem, sem o mal. 
Não há luz, sem escuridão.  
Não há sonhos, sem esperança. 









terça-feira, 11 de junho de 2013

Corações gelados, Laurie Halse Anderson [Opinião]

Sinopse:
«Eu sou aquela rapariga. 
Eu sou o espaço entre as minhas coxas, a luz do sol a derramar-se entre elas. 
Eu sou a auxiliar de biblioteca que se esconde na "Fantasia". 
Eu sou a aberração de circo enclausurada em cera. 
Eu sou os ossos que eles querem, ligados num molde de porcelana.» 

Viajei na terra dos Corações Gelados devido às inúmeras leitoras que me escreveram a contar a sua luta com distúrbios alimentares, auto mutilação e sensação de andarem perdidas. A sua coragem e sinceridade puseram-me no caminho para encontrar Lia e ajudaram-me a compreender a sua devastação. Embora não seja uma história da vida real, Lia foi inspirada nessas leituras, e por isso lhes estou muito grata.

Opinião:

Corações Gelados é história muito intensa sobre a vida de Lia, uma jovem que não consegue viver com sua imagem e, pior ainda, com o seu próprio peso. O relato em livro de uma realidade comum a tantas jovens por este mundo fora.

Gostei da temática, gosto de ler tudo o que tem o seu quê de facto verídico, no entanto existiu aqui alguma coisa ao longa da narrativa que me impediu de visualizar e contextualizar algumas passagens. Talvez a escrita da autora não tenha conseguido dotar as palavras com a magia de que necessitaria para que o desenrolar da história se desse com mais naturalidade.

Este livrinho foi ganho num passatempo da editora ASA. Não conhecia a autora mas fiquei curiosa e brevemente tentarei ler o outro livro dela já publicado em Portugal.
Não me alongo muito mais na opinião visto tratar-se de um tema bastante sensível e que pode ferir susceptibilidades.


Boas leituras,
10 Junho 2013


segunda-feira, 10 de junho de 2013

Happy Hour - Ligação com -10% e ofertas



Hoje dia 10 Junho dia de Portugal (feriado) e também último dia da 83ª Feira do Livro de Lisboa e para comemorar trago-vos um pequeno miminho




Infelizmente, nem eu nem o meu Ligação tivemos a oportunidade de estarmos presentes na Feira do Livro e, como tal, não queríamos passar esta data sem deixar, por assim dizer, a nossa marca pelo que decidi fazer uma Happy Hour Ligação! 




Para usufruírem desta promoção basta enviar EMAIL (soraia.ms.pereira@gmail.com) ou mp pela página do FACEBOOK com o pedido e efectuarem o pagamento dentro do horário Happy Hour (entre as 15h e as 21h do dia de hoje).


Os livros vão autografados/dedicados; portes grátis (correio normal/nacional) juntamente com 3 ofertas especiais.


Uma oportunidade que não vais querer perder!