quinta-feira, 30 de maio de 2013

As leituras de Maio 2013 [Balanço]





Qual o motivo de comemoração? 
7 livrinhos lidos 
Uma grande variedade de estilos. 
Destes que eu li, já leram algum? Querem ler? 




E por ai? Como foram essas leituras de Maio?



quarta-feira, 29 de maio de 2013

O diário de Anne Frank (versão definitiva) Anne Frank [Opinião]



Sinopse:

Anne era uma rapariguinha de uma família judaica de Francfort que se refugiou na Holanda para escapar às perseguições nazis. Invadido este país, a família esconde-se com outras pessoas num "anexo" de uma casa, onde, protegida por gente corajosa e dedicada, consegue viver largo tempo sempre no terror de ser descoberta. Acabou por sê-lo. E o diário de Anne foi encontrado por acaso num monte de papéis velhos. Anne veio a morrer no campo de concentração de Bergen-Belsen. Mas o diário que essa rapariguita escreveu é, na sua perspicácia e na sua desenvoltura adolescente, um documento, um autêntico documento humano - e, só pelo facto de existir, um protesto contra as injustiças do mundo em que vivemos.


Opinião:

É difícil falar deste livro, deste testemunho de uma criança de 13 anos que passa 2 anos enfiada num anexo e é obrigada a dividir o seu espaço minúsculo não só com os pais e irmã mas também com desconhecidos.

Imaginem o que é discutir com alguém e não ter o poder de virar simplesmente as costas, bater a porta e sair à rua para aliviar a tensão. Imaginem o que é viver num anexo sob a constante pressão de uma guerra iminente do outro lado das paredes. Imaginem racionar a comida, a bebida, as idas à casa de banho e a higiene pessoal? Conseguem sequer imaginar?

Anne Frank foi uma menina que virou mulher num anexo por cima de um armazém em plena guerra. Os seus relatos e testemunhos são impressionantes. A perspicácia e a inteligência de Anne atinge-nos e obriga-nos a pensar sobre tudo a que esteve sujeita naqueles 2 anos de convivência forçada.

A idade da incompreensão, o desabrochar da adolescência, a curiosidade tão própria da sua idade a contrastar e a esbarrar de frente com as opiniões e regras dos adultos. As injustiças com as quais se deparou ao longo da clausura da família Frank para conseguirem escapar à guerra e à caça desumana que os alemães lançaram ao povo judeu e a beleza mórbida, a consciência e a inteligência com que ela lidou com os assuntos sendo ela tão nova e sofrendo tanto no seu crescimento. 

Fiquei impressionada com o relato da Anne. Com a sua sinceridade e acima de tudo por também eu, nos meus 13 anos me ter sentido montes de vezes como ela se sentiu em determinadas situações.

Fico triste por no meu tempo de escola não ter tido a oportunidade de ler e trabalhar mais profundamente em livros com esta qualidade nas aulas uma vez que actualmente 'O diário de Anne Frank' pertence ao plano nacional de leituras. (Malta jovem, aproveitem para ler e aprender alguma coisa).

Sem dúvida, uma leitura que recomendo vivamente. Um testemunho impressionante.

Boas leituras,
29 de Maio 2013





segunda-feira, 27 de maio de 2013

Lágrimas do sol e da lua (Saga das Pedras Mágicas #3) Sandra Carvalho [Opinião]



Sinopse:

No coração da Floresta Sombria, Aesa, rainha do povo vândalo e mestra da Arte Obscura, engendra um plano para se apoderar das sete pedras mágicas da Feiticeira Aranwen. Entretanto, na Ilha dos Sonhos, Catelyn e Throst, o Guerreiro-Lobo, preparam as suas filhas Edwina, Thora e Freya para assumirem os seus próprios destinos. Edwina, a primogénita, aceita tornar-se Guardiã da Lágrima do Sol e aguarda o chamamento da Pedra do Tempo. 
Do outro lado do mundo, Sigarr, irmão de Aesa, treina Edwin para tentar concretizar a profecia que dita que o filho varão do Rei da Lua e da Rainha do Sol terá o poder de fundir a Arte Obscura e a Arte Luminosa para atingir o conhecimento absoluto. Alcançará ele o seu propósito ou ainda haverá esperança de libertar a Lágrima da Lua?

Opinião:

Infelizmente, devido ao preço dos livros desta saga e, felizmente, graças à Ivonne (que é uma diaba querida) que me emprestou alguns dos seus livros aqui estou eu para vos falar deste menino que terminei de ler há algumas horas.

Este é o 3ºvolume da Saga das Pedras Mágicas da autora portuguesa Sandra Carvalho e devo confessar que para mim este livro destaca-se dos 2 anteriores.

A maior afluência de diálogos, todos eles carregados de imenso humor e boa disposição surgem como um balsamo refrescante no meio de tantas páginas de discurso corrido. No entanto o facto de a história central de cada livro nunca terminar, ou seja, a história que começa no livro 1 só termina no 2. E a que começa no 2 não acaba bem, bem no 3... e acho que em parte é isso que dá vontade de continuar a ler. Contudo ao longo da história principal desenrolam-se histórias paralelas que começam e terminam e que acalma um pouco a curiosidade de saber que futuro está reservado às personagens ditas principais.

Por falar em personagens principais, a Thora conquistou-me, assim como o Ivarr. A cumplicidade entre estas duas personagens cativou-me e prendeu-me mais do que o amor que une as personagens principais da história que 'actuaram' com muito pouco destaque. O humor de Thora e a sua determinação está muito bem concebida. Adorei e quase que me atrevo a imaginar o resto do futuro da personagem... 

Vou tentar continuar a seguir esta saga e quando as economias melhorarem vou tratar de arranjar os meus próprios exemplares.

Até lá, boas leituras.
27 Maio 2013







Ligação - Passatempo #1




*** O vencedor será escolhido através do *** 


sexta-feira, 24 de maio de 2013

Ligação (Fotos leitores #5)


Olá-olá!

Já há algum tempo que não me chegavam fotos novas de leitores do Ligação a partilhar o seu exemplar.


Hoje partilho convosco quatro fotografias.


Esta aqui pertence à minha leitora beta Ivonne Zuzarte que me ajudou tanto, mas tanto, que por mais agradecimentos que lhe faça, tenho ideia de que nunca são suficientes. (Mas ainda me deves uma foto com a sua excelentíssima presença, ó diaba)

"...eu gostei da história, sinceramente. É dentro do meu género predilecto – Fantástico – e, apesar de retratar uma história sobre vampiros, é muito mais do que isso. Costumo dizer e, atenção que eu dou 3 estrelas - ocasionalmente 4 - à Sherrilyn, mas costumo dizer que a Soraia é a minha (nossa?) SK portuguesa..."

(Podem ver opiniões completas aqui, aqui e aqui)





A próxima fotografia pertence à Soraya Gonçalinho de Setúbal  que já leu o Ligação e diz o seguinte:

«Peguei no livro hoje (11/05/13) e já o terminei... e não há palavras suficientes que façam jus ao teu livro...está fantástico e cheguei ao fim a querer saber mais... muito mais... parabéns pelo excelente trabalho… quero mais desta maravilhosa historia, please!»

(Podem ver aqui ou aqui a opinião completa)










A autora  d 'O Intruso'  Carina Rosa, residente em Loulé, também já leu o Ligação e enviou-me a fotografia directamente do sul do país.

"«Ligação - Anjos Negros #1» é uma boa história, com personagens credíveis, diálogos fortes e cenas picantes muito bem descritas, com um sentido de humor magnífico..."
(Podem ver opinião completa aqui, aqui e aqui)









A Márcia Teixeira de Escariz também me enviou a sua fotografia. Ela ainda não leu o livro mas disse:


"...Gosto muito do visual de tudo, acho que vou adorar o livro, o design tá lindo e aposto que o conteúdo vai ser um máximo..."



Os meus votos de uma boa leitura e que chegue rápido o teu feedback.







Continuem a ler o Ligação e a mandar as vossas fotos e opiniões. Tenho um cantinho especial aqui no blog para vocês.

Um beijinho, boas leituras



O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald [Opinião]


Sinopse:

A existência de F. Scott Fitzgerald coincide literáriamente com os dois decénios que separam as duas guerras, repartindo-se entre a América onde nasceu, numa pacata cidade do Middle West, no Minnesota, e a França, onde viveu durante vários anos com a família. O seu nome evoca-nos uma geração que associamos à lendária idade do jazz, vertiginosa e fútil. Fitzgerald pertenceu a essa geração, foi um dos seus arautos. A sua vida tão precocemente visitada pela fama, e tão cedo destruída, é a carne e o sangue de que é feita a sua obra. O Grande Gatsby é o seu maior romance, talvez porque nele se fundem com rara felicidade essa matéria-prima, a sua própria experiência de vida, e uma linguagem de grande qualidade poética.

Opinião:

Desde a primeira vez que ouvi falar deste livro que senti vontade de o ler. Pois, bem, esta semana chegou cá a casa e lá comecei eu a ler este grande clássico.


(Pelos vistos, pertence ao plano nacional de leituras. Bom, no meu tempo não havia cá Gatsby para ninguém -_- )

Gatsby não passa de um pobre jovem que vai para a guerra e que por meio do destino conhece Daisy, uma jovem e formosa rapariga que de imediato lhe confisca o coração. No entanto, uma vez que ele não passava de um mero soldado, Daisy rapidamente se esquece da paixão arrebatadora pelo jovem soldado e se casa com Tom.

Quando Gatsby regressa da guerra, traz consigo não só memórias desses tempos e de antigos camaradas como uma valiosa fortuna. Acreditando que o fosso que o separava da sua querida Daisy era a sua inicial condição económica  Gatsby exibe a sua fortuna e a sua ostentosa mansão a todos os 'sanguessugas' da sociedade na esperança de atrair Daisy aos seus serões. 
As festas. O glamour. O dinheiro. Todos estes ingredientes faziam as massas sociais rumarem quase em excursão à grande mansão de Gatsby, ponto de encontro de homens e mulheres de Nova Iorque. No entanto o destino permite que Gatsby reencontre Daisy... e o seu marido, Tom. Completando desta forma um triângulo amoroso, composto pela Daisy, um amor do passado (Gatsby) e um amor do presente (Tom).

O inicio da leitura, confesso que me deixou confusa, mas assim que o narrador se apresenta, Nick Carraway, vizinho de Gatsby, sabemos que é a personagem que dá voz a esta história, narrando não só a controvérsia da sociedade dos anos 20, corrompida por falsas moralidades mas também a desgraça de um amor perdido e amaldiçoado. 

Foi um livro que li em 2 a 3 dias. É interessante, uma vez que nos mostra várias perspectivas do sonho americano e da sua decadência. 
(Podem ver a classificação no Goodreads)

E agora que já li o livro tenho de ir ver o filme ao cinema. 

Boas leituras,
22 de Maio 2013







quarta-feira, 22 de maio de 2013

Dia do autor português



A 22 de Maio de 1982 foi instituído em Portugal pela mão do Maestro Nóbrega e Sousa (autor de centenas de composições, sobretudo na área da música ligeira, duas delas vencedoras do Festival da Canção, nomeadamente «Sobe, Sobe Balão Sobe» (1979), cantada por Manuela Bravo, e «Sol de Inverno» (1965), por Simone de Oliveira) o Dia do Autor Português.





Um dia dedicado a todos aqueles que criam arte em Portugal, seja sob a forma de literatura, música, cinema, teatro, ou outra... Um vasto leque de categorias onde muitos portugueses venceram e deixaram a sua marca na vasta cultura portuguesa.







A todos aqueles que são autores, por lazer ou  profissão, a tempo parcial ou inteiro, o meu bem-haja e feliz Dia do Autor Português! 

terça-feira, 21 de maio de 2013

Insurgente (Divergente #2) Veronica Roth [Opinião]


Sinopse:

A tua escolha pode transformar-te - ou destruir-te. Mas qualquer escolha implica consequências, e à medida que as várias fações começam a insurgir-se, Tris Prior precisa de continuar a lutar pelos que ama - e por ela própria.

O dia da iniciação de Tris devia ter sido marcado pela celebração com a fação escolhida. No entanto, o dia termina da pior forma possível. À medida que o conflito entre as diferentes fações e as ideologias de cada uma se agita, a guerra parece ser inevitável. Escolher é cada vez mais incontornável... e fatal.
Transformada pelas próprias decisões mas ainda assombrada pela dor e pela culpa, Tris terá de aceitar em pleno o seu estatuto de Divergente, mesmo que não compreenda completamente o que poderá vir a perder.
A muito esperada continuação da saga Divergente volta a impressionar os fãs, com um enredo pleno de reviravoltas, romance e desilusões amorosas, e uma maravilhosa reflexão sobre a natureza humana.

Opinião:

Vou começar pela capa: é linda! Diferente e muito apelativa. (Tal como a capa do primeiro volume). O facto de o interior ser em papel creme ajuda imenso à leitura assim como o tamanho da letra.

Quanto à história: 'Insurgente' é o segundo livro da trilogia distópica de Veronica Roth que traz até nós leitores a continuidade da aventura de Tris (Beatrice) e Four (Tobias) assim como das restantes facções que fazem parte desta história que sofra mais uma reviravolta e que, no entanto, ainda não nos revela ao certo o outro lado da moeda que se encontra para lá da vedação da sociedade das facções.

Neste segundo livro nota-se uma evolução fantástica na personagem de Four. É mais arisco. Mais engraçado. Mais duro. Mais masculino. Tentador. Sem dúvida que para mim foi a personagem revelação, se bem que em certas partes esperei mais dele.
Quanto a Tris, bom, é uma personagem de altos e baixos. Tanto é destemida e imparável como de repente recua no tempo e parece uma miudita insegura e apavorada. 

(Ok, só tem 16 anos, compreendo isso. Mas não sei, houve ali algumas quebras de personalidade que não combinam).

A autora aplica uma boa quantidade de humor em várias situações, ingrediente este, que dá uma outra graça à narrativa e me fez devorar página atrás de página. Os diálogos foram mais fluidos e as acções mais ‘reais’. No entanto, deparei-me com algumas situações que foram o oposto. Frases sem sentido que me obrigou a ler a mesma passagem duas e três vezes. 

(Penso que neste aspecto a culpa terá sido da tradução, uma vez que se o processo não for feito com atenção máxima, o conceito ao ser traduzido pode ficar perdido e causar confusão).


Mal posso esperar pela continuação e desfecho desta trilogia. Recomendo.
(Podem ver aqui a classificação no Goodreads)

Boas leituras,
18 Maio 2013





segunda-feira, 20 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Vera Neves



Opinião da Vera Neves

Administradora do blog Sinfonia dos livros



"É um livro de escrita muito simples, leitura rápida e viciante."

Primeiro que tudo, quero dizer o quanto estava ansiosa para que esse pequeno tesourinho saísse cá para fora. Estava mesmo muuuuuito ansiosa, acreditem. Praticamente todos os dias perguntava à Soraia quando saía o livro.

Agora o livro:
Devo dizer que estava um bocado nervosa em começar a lê-lo pois não sabia mesmo o que me esperava e sendo amiga da autora, ia ser para mim muito complicado adoptar uma postura imparcial.
É o primeiro livro da Soraia e devo dizer que superou as minhas expectativas. As personagens, o enredo, o humor típico da autora que nos leva às lágrimas em muitas ocasiões do livro.

A minha personagem preferida, devo ser sincera e dizer que não é uma... mas sim duas... Luthian e Zelasthiam, a dupla maravilha. Um pelo seu humor sarcástico e o outro por ser atrevido e malandreco. gosto mesmo imenso dessa dupla. Fora eles também gostei imenso da Lashy. Sensual, atrevida e amante de gomas. Um must!

Existem algumas gralhas no livro, mas não por culpa da autora, creio eu e sim por uma má e deficiente edição. Atenção que aqui gralhas é diferente de gafes. Palavras incompletas, trocas de tipos de letras na mesma frase, etc. Mas lá está, são erros de publicação e não de escrita.
Ora bem, do que trata o livro perguntam-me vocês. e perguntam muito bem, só que não vou estar a estragar a surpresa dos futuros leitores, como é óbvio.





Trata-se de um grupo de seis Anjos Negros guerreiros (vampiros) que protegem os humanos durante a noite, não podendo sair à rua de dia. numa dessas noites Leonardo salva Jessica que está a ser atacada por humanos. A partir daí começa a haver uma química muito forte entre Leo e Jessica, como nós gostamos, deixem-me que vos diga. Muitas cenas "calientes", de perder o fôlego mesmo. Malandreca a nossa Soraia. Não quero estar a contar pelo que vão ter de ler mesmo se quiserem saber. 

É um livro de escrita muito simples, leitura rápida e viciante. De salientar que é o primeiro livro da Soraia e como tal existem arestas a serem limadas, mas não podia deixar de dar quatro estrelas pela história, pelo à vontade com que as coisas são descritas, ou seja, todas as cenas dão a ideia de serem mesmo reais e não tipo aquelas cenas forçadas. Os diálogos estão impecáveis e muitos deles hilariantes, de levar às lágrimas mesmo. Adoro o facto da personagem da Jessica ser uma mulher forte e determinada, cheia de convicções e de atitude. Com ela ninguém brinca... Adorei o jeito badboy de A'larick, a simpatia de Winnd, a safadeza de Luthian e o humor de Zelasthiam. Não me posso esquecer de D'Drake, o terra-a-terra do grupo e Leonardo que é o apaixonado, algo lamechas às vezes, mas o amor é mesmo assim.

Acho que vou surtar até chegar ao dia em que vou ter nas minhas mãos o segundo livro dessa saga maravilhosa! Recomendo vivamente! Se não têm não percam mais tempo e vão comprar directamente à autora com direito a ofertas!

(Podem ver cotação no Goodreads e a opinião também pode ser lida aqui )

domingo, 19 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Carina Rosa




«Ligação - Anjos Negros» é o primeiro livro publicado da autora Soraia Pereira e devo dizer que começa bem. Este livro surpreendeu-me pela forma como a história está exposta e pela forma como a autora vê os seus personagens. 


Jessica é uma rapariga de vinte e três anos que se vê atacada em plena noite por um grupo de homens que só a querem devorar e é Leonardo, um Anjo Negro, que acaba por salvá-la. À partida, poderíamos pensar: "oh, lá vamos nós para a típica história do vampiro e da humana que se apaixonam..." mas desengane-se quem pensa assim. A história é em tudo diferente daquelas que já tinha lido relacionadas com este tema.

A boa-disposição e humor da autora são bem visíveis ao longo do livro, o que tornou a história algo cómica e com uma frescura hilariante, o que me fez rir algumas vezes. Não foi raro isto acontecer até em algumas cenas supostamente sérias, mas não achei algo despropositado para o momento, pelo contrário, foi uma lufada de ar fresco numa história bastante inovadora.

Adorei a Jessica e embora não conheça a autora pessoalmente, imaginei-a em algumas partes desta personagem. Jessica é uma mulher de armas, que não se acanha por nada, nem tem papas na língua, passa-se por qualquer coisa e é super engraçada. Digo que talvez se pareça com a autora por me fazer lembrar uma típica mulher do norte, com M grande, que é também a região da autora. Achei que a personagem estava bem caracterizada e ri-me bastante com ela, fosse em pensamentos, diálogos ou acções. 





O que dizer do Leonardo? É um HOMEM, atraente, sedutor, guerreiro, apaixonado e ainda por cima fofo. Gostei imenso dele. Achei-o um querido. Em relação aos restantes personagens, não é fácil criar pessoas e vidas distintas, com personalidades variadas, principalmente quando são muitos personagens, e a autora conseguiu fazer isso, o que é de louvar. Winnd, Nila, Ambrozie, Zelasthiam ou D´Drake, ou até Caliel e Lashy fizeram as minhas delícias com conversas cómicas que a autora teve a mestria de criar, mas os que mais me marcaram foram Luthian, com a sua moca constante, e A´larick, o típico homem vulnerável por dentro e duro que nem uma pedra por fora. Gostei de o ver amolecer um pouco, embora tivesse desejado mais, mas tenho esperanças de que a autora tenha ainda muitas coisas boas reservadas para ele, pois este é só o primeiro de uma saga de 12 livros. 

Gostei da história, do princípio, do meio e do fim, e fiquei curiosa para ler o próximo volume. 
Entre os aspectos negativos, destaco apenas alguns erros ortográficos e de sintaxe, mas que não me atrapalharam na leitura, e o facto de a história se passar em Nora Iorque e não em Portugal. O que temos também é bom e bonito e devíamos promover isso. Para além de que, quando estou a ler um livro de um autor português, gosto de ver locais e nomes portugueses. Contudo, a minha apreciação não foi movida por isso.

Acho que, para um primeiro livro, a autora começou com o pé direito e adivinho-lhe um futuro risonho nesta área da literatura. «Ligação - Anjos Negros» é uma boa história, com personagens credíveis, diálogos fortes e cenas picantes muito bem descritas, com um sentido de humor magnífico. Uma leitura leve, que nos leva a descontrair e a sorrir ao final do dia. 


***

Para quem não sabe a Carina Rosa é também autora e o seu primeiro romance intitula-se 'O Intruso' e está no mercado sob a chancela da Chiado editora. Para mais informações sobre a autora e o seu trabalho vejam aqui

sábado, 18 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Luís Ferreira




"Adorei o livro e estou à espera da segunda parte, com a expectativa de ser tão bom como este primeiro volume. Avalio o livro com 4 estrelas.


Luís Ferreira"

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Soraya Gonçalinho



"Adoro ler e adoro literatura fantástica e este livro prendeu-me do início ao fim...tanto que o li num dia.

«Peguei no livro hoje (11/05/13) e já o terminei... e não há palavras suficientes que façam jus ao teu livro...está fantástico e cheguei ao fim a querer saber mais... muito mais... parabéns pelo excelente trabalho… quero mais desta maravilhosa historia, please!»


Realmente tenho de dar os parabéns pois a história está fantástica...a história tem um bom ritmo, nem descrições a mais nem a menos, momentos de grande emoção e até de diversão... Está perfeito :D 







«A sério, desde os livros da nossa SK que não pegava num livro e lia assim com tanta vontade… tanto que não consegui descolar até terminar.»

Há aqui ou ali um deslize mas isso é perfeitamente normal, erros toda a gente os comete mas para principiante nestas aventuras de escritora, está muito, muito bom e como há que valorizar o que é português, na minha opinião merece as 5*(Ver opinião e classificação no Goodreads)


Aconselho a leitura, e que venha rápido a continuação!"

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Crónicas de uma leitora



Opinião da Helga Rosa

Colaboradora no blog Crónicas de uma leitora


"É um livro original, que se lê de uma assentada, não descansei enquanto não parei, e li com verdadeiro prazer".

Eu adoro a temática fantástica e sobrenatural em livros, de anjos a dragões, vampiros a elfos, metamorfos a fantasmas, sou simplesmente fã, posto isto não é de estranhar que mais de metade dos meus mais de 300 livros (tirando os que já troquei, emprestei, perdi e vendi) sejam dentro desta temática...

As expectativas estavam bem lá no alto,  o booktrailer, a sinopse, o pouco que nos era desvendado no blog da escritora fez antever uma excelente história a Saga dos "Anjos Negros".



Agarrei no livro com expectativa (uns 5 minutos depois de acabar o anterior, estando eu numa sala de espera numas urgências hospitalares), e li o 1º e 2º capitulo de uma assentada e parei a leitura. 1º porque já estava despachada pelo que não ia ficar por ali a ler um livro, em 2º porque apesar de estar a ser uma leitura "agradável" trouxe-me demasiada "Irmandade da Adaga Negra" e "Midnight Breeds Series" ao contexto. 

Fiquei sem saber se sou eu que gosto demasiado das sagas e estava a transportar para o livro ou vice-versa... E  agora? Fiquei de dizer alguma coisa  á escritora e crescia dentro de mim o receio de não gostar, ou melhor de familiarizar demasiado o livro! Por isso parei de ler (por 1 dia), a tomar uma decisão...  Mas a curiosidade levou a melhor e na verdade eu também acredito na escritora e as coisas não podiam ser só assim, então "forcei-me" a continuar a ler e ... Quando dei por mim o esforço não foi nenhum, posso dizer que devorei o livro. 

Quando o acabei de ler, não tive dúvidas que a Soraia é uma escritora cheia de potencial, que espero vir a revelar-se com os próximos volumes da saga, mas que só por si já é melhor que muitos nomes conhecidos da nossa "praça".

É um livro original, que se lê de uma assentada, não descansei enquanto não parei, e li com verdadeiro prazer. Quando acabou, tive curiosidade de saber mais sobre os nomes que lá figuram e fiz umas pesquisas no google, adorei a história de amor, gostei da história do livro só fiquei triste com uma coisa.... Tendo acabado de sair o "Ligação", quando é que poderei saber mais sobre o próximo "Anjo Negro"?

(Também podem ver a opinião aqui e respectiva classificação no Goodreads aqui)

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Sofia Sousa




«Adorei ler o livro Ligação. 

Um livro com uma linguagem simples e muito fluida, que nos prende literalmente à leitura. A história do Ligação é linda, encantadora e tem o seu toque mágico que nos leva para o mundo dos Anjos Negros.

Com o desenrolar da história os capítulos iam ficando cada vez mais deliciosos,e não nos permitia parar, mas sim devorar mais uma e outra página. 


Fiquei presa à história do Leo e da Jessica, e claro à beleza daquele clã masculino da mansão. Neste livro encontrei aquela essência que procuro em todos os livros!!! E não me desiludiu. Foi uma verdadeira delicia.

Aconselho a todos a lerem este livro, não se vão arrepender! Aguardo ansiosamente pelo segundo volume da Saga Anjos Negros!»

(Também podem ver a opinião e cotação no Goodreads)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Ligação - Opinião by Livros nas estrelas



Opinião da Nadia Santos

Administradora do blog Livros nas estrelas



'Ligação' é o primeiro volume da saga Anjos Negros da autora portuguesa, Soraia Pereira.
Este volume conta a historia de Leonardo, um dos 6 irmãos guerreiros, que desde sempre protegem os humanos. Jessica é atacada pouco antes do sol nascer e salva por um estranho. Depois de perder os sentidos, Jessica, acorda num quanto majestoso e sabe que não está na sua cama. Jessica nem imagina que a sua vida calma está prestes a mudar...






Soraia Pereira leva-nos a um mundo fantástico, com personagens maravilhosas. De todos, e com a informação que a autora nos dá nesta obra, o meu favorito é A'larick, um menino mau...mas sexy (que posso eu fazer? adoro meninos maus hehehe), mas também adorei os restantes e estou mais do que morta para os conhecer melhor: Luthian, D'Drake, Zelasthiam e Winnd, cada um especial e maravilhoso.

'Ligação' é uma obra apaixonante, sensual, com uma boa descrição dos acontecimentos, o que facilita e leva o leitor ao acontecimento, fazendo este viver cada pagina com uma imensa intensidade. Soraia Pereira está de parabéns, pelo enredo maravilhoso que criou, uma jovem autora portuguesa com imenso potencial.






Só devo dizer... que deveria haver uma aviso na capa, mais ou menos assim:

"Quentes, sensuais e apaixonantes. 6 homens que fazem parar o transito e de cortar a respiração, a qualquer mulher!"

(Também podem ver a opinião aqui e a cotação Goodreads)






O Intruso, Carina Rosa [Opinião]



Sinopse:


Sara é uma mulher deprimida e atormentada por um passado trágico. A casa que outrora pensara ser um refúgio contra as lembranças de uma vida que desejava esquecer, é agora um antro de sombras que a perseguem. O reencontro com Martim, um rosto que lhe é de alguma forma familiar, de um passado longínquo, provoca-lhe uma avalanche de sentimentos que poderão mudar a sua vida para sempre. Mas o passado nunca poderá ser apagado e Sara vê-se obrigada a tomar decisões que podem fazer a derradeira diferença ente a vida e a morte. Poderá Martim salvá-la de uma realidade que foge ao seu alcance? Ou poderá afundá-la ainda mais naquele poço sem fundo, em que não há saída possível, senão a morte?

Opinião:

Antes de tudo o resto volto a frisar que as minhas opiniões são de carácter meramente pessoal. Independentemente de quem escreve, nacionalidade, tema, etc etc etc, as minhas opiniões baseiam-se no prazer e deleite que a leitura me proporciona (ou não) uma vez que não tenho competência profissional para avaliar o livro de forma profissional.

A Carina Rosa é uma jovem autora portuguesa, mora em Olhão e o seu primeiro livro publicado chama-se ‘O Intruso’ (Chiado Editora) que foi o livro/autora escolhida para Leitura Tuga de Maio.

E de que é que nos fala este livro? A narrativa deste romance desenrola-se no Algarve, na cidade de Olhão e gira em torno de 3 personagens (por assim dizer) principais: Sara, Rodrigo (o antigo amor) e Martim (o novo amor).

Sara é uma jovem que vive atormentada com todo o seu passado, facto esse que não lhe permite viver o seu presente e muito menos pensar no seu futuro. E tudo porquê? Por causa de Rodrigo, a sua paixão dos tempos do liceu e o seu primeiro amor. Vítima mortal de um acidente rodoviário num dos dias mais importantes das suas vidas e que desde então a assombra com o seu espírito sofrido como uma alma penada.

Desde esse dia e até conhecer Martim, Sara vive no limiar da insanidade mental e do suicídio iminente. Frustrada e triste, leva a sua vida de forma automatizada, como se fosse um robot presa à infelicidade que a consome dia após dia, noite após noite. No entanto Martim aparece na sua vida e é para ela como uma lufada de ar fresco.

O que tenho mais a dizer sobre ‘O Intruso’?

Li este pequeno de 190 páginas num dia e meio (+/-) o que é quase um milagre tendo em conta os meus últimos tempos de leitura ^^

Ora bem, a capa. Gosto muito da ilustração. É diferente e atractiva. O peso do livro, é levezinho como uma pena, não me cansa os pulsos quando estou a ler. O tipo de papel cor creme. Fantástico para a leitura. Não cansa a vista mesmo depois de umas quantas horas a ler.

Amei o Mike (labrador bege e fiel companheiro de Sara)! Eu tenho uma labrador em casa, não é bege é preta e sempre que estava a ler uma passagem em que Mike dava o seu contributo via a minha labrador. A descrição do comportamento, das atitudes, das reacções está excelente!

Relativamente à escrita da autora, ponto super positivo para o tamanho dos capítulos. 2 a 3 páginas por capítulo. Diálogos: tenho a dizer que encontrei algumas situações, onde as cenas descritas são coerentes e credíveis. Consegui até rir com uma ou outra situação.

A personagem Martim é muito divertida e bem-disposta. Boa onda. Já o Rodrigo, bem, o homem é um demónio malvado. E foi com esta personagem que a autora me prendeu ao livro porque tem algumas passagens que lhe dedica o capítulo na totalidade e me fez esbugalhar os olhos e pensar: ‘Uau… Que medo’. Foi realmente uma pena o Rodrigo não ter tido mais tempo de antena.

Infelizmente a autora peca pelas frases muito pequenas e isso foi uma distracção propensa a detectar gralhas e falhas. Isso porquê, porque quando estamos a ler (quando eu estou a ler, pelo menos) faço pausas nos pontos finais. Então dei por mim a parar a cada 3 ou 4 palavras e por causa disso perdi o fio condutor da leitura um monte de vezes.

As analepses que a autora incluiu no livro deveriam ter sido assinaladas a negrito ou a itálico para que o leitor conseguisse situar-se sem dificuldade no ponto de situação da narrativa. Faltou também 'pontes de ligação' entre as acções/ideias.

O final do livro, ou seja, os últimos 3 capítulos fazem valer a história. Foi pena a autora não ter escrito o livro todo como escreveu o final.

Apesar dos pontos menos positivos, gostei da história (podem ver classificação do Goodreads) e estou ansiosa por ler mais trabalhos desta autora portuguesa que sei que tem evoluído bastante...


Boas leituras,
13 Maio 2013







Obs: Leitura Tuga Abril (Desafio lançado pela escritora/autora e blogger Andreia Ferreira no seu blog http://d311nh4.blogspot.pt)

segunda-feira, 13 de maio de 2013

O beijo das sombras (Série Academia de Vampiro #3) Richelle Mead [Opinião]


Sinopse: 

A Primavera chegou à Academia de São Vladimir, e Rose Hathaway está quase a graduar-se. Chegou também o momento em que Rose tem de lidar com os seus pensamentos cada vez mais sombrios, o seu comportamento errático, e pior que tudo, ela acha que anda a ver fantasmas... Tudo isto porque teve de matar os seus primeiros Strigoi. 
E enquanto Rose põe em dúvida a sua própria sanidade mental, novas complicações se avizinham: Lissa recomeça as experiências com a sua magia, o seu inimigo Victor Dashkov pode ser posto em liberdade, e a relação proibida de Rose e Dimitri aquece mais uma vez. Mas quando uma ameaça mortal que ninguém podia prever transforma todo o seu mundo, Rose terá de arriscar a própria vida e escolher entre as duas pessoas que mais ama.


Opinião:

‘O beijo das sombras’ é o terceiro livro da série Academia de Vampiro da autora Richelle Mead e é também o antepenúltimo livro disponível em português porque a editora que detém a sua edição comunicou aqui há tempos que não dariam continuidade à saga. Como se costuma dizer: a ‘Academia de Vampiro’ veio morrer na praia a Portugal, o que é de lamentar. 

E agora o livro.
Continuamos a conhecer e a acompanhar a vida da jovem da damphir Rose Hathaway com o seu estilo descontraído e explosivo. De Lissa, a princesa Dragomir e última da sua linhagem que continua a aprender a lidar com o seu elemento. Com Christian Ozera, namorado de Lissa e ovelha negra da realeza devido à ‘herança’ que os seus pais lhe deixaram quando se decidiram passar para o lado do inimigo. Adrian Ivashkov, sobrinho-neto da rainha e detentor do mesmo elemento de magia que Lissa e um humor delicioso e claro Dimitri Belikov, guardião e eterno amor de Rose. 

Desta vez a minha cotação no Goodreads baixou uma estrelinha (podem ver aqui). Porque se tive momentos em que devorei as páginas também tive outros em que parecia que a narrativa nunca mais chegava ao fim. Se dei algumas gargalhadas com os diálogos (principalmente aqueles onde Adrian estava incluído) também tive outros momentos em que praticamente passei pelas brasas de olhos abertos. 

Mas o que me desiludiu mesmo, mesmo, (e aqui sou obrigada a fazer uma coisa que detesto que é SPOILAR porque não encontro forma de explicar o que senti) foi o excesso de velocidade com que a cena de amor da Rose e do Dimitri aconteceu.





(Oh pa! Juro que li três vezes a passagem! o.O ) Eu estava à espera deste momento há 2 livros e meio e então a cena proibida, romântica, amorosa e picante e coise e tal acontece numa página?! Fiquei triste. Tenho dito. O momento deles merecia MUITO mais. O momento foi seco. Foi rápido. Durante 2 livros e meio vemos a Rose falar da sua condição virginal e então chega o momento e ela perde a sua virgindade com o amor da sua vida e nem isso a autora explorou?! Não percebi



Outro aspecto que também me fez não dar mais do que 3* foi pelo facto de estar constantemente a ler expressões brasileiras. Não gosto. Não gosto. Não gosto

O final deste 3º livro tem uma carga emotiva muito grande. Triste. E é desta forma que Richelle encerra mais uma parte da sua série. Apesar de não ter sido dos meus favoritos obviamente que fiquei curiosa para saber o que o destino preparou para a Rose agora que a maioridade chegou e o mundo dela desmoronou quase por completo…


Boas leituras,
12 Maio 2013